sexta-feira, 25 de março de 2011

Influência dos Meios de Comunicação x Oneomania.

Os meios de comunicação influenciam bastante em nossas vidas, pois vivemos em um mundo cuja globalização atingiu tal ponto que são poucas as comunidades que não tem acesso a algum meio de comunicação. O momento atual tem sido chamado de era das comunicações, já que o avanço tecnológico e o crescimento do acesso aos veículos de comunicação trouxeram inúmeras implicações para o ser social.
Um dos meios mais influenciadores é a TV, pois é o veículo de comunicação social mais acessível, mais presente, assumindo um importante papel na vida cotidiana. A TV, nesse estágio está acessível a milhares de pessoas ao mesmo tempo, e forma multiplicadores de sua realidade ideologicamente montada envolvendo assim, todo o corpo social. É evidente a maneira que a televisão tem alargado sua influência em quase todas as partes do mundo. Ela é tão atuante na vida familiar que tem sido considerada um membro permanente. A publicidade sempre nos mostra modelos perfeitos de ser, de vida ideal e que o expectador pode adquirir, desde que compre determinado produto. A publicidade na mídia atua de tal forma que vende o “produto”, mas para garantir o Ibope, entreter e fidelizar o público, vende também idéias, valores e conceitos. Muitos são os motivos que levam uma pessoa a comprar: a necessidade, a diversão, os modismos, a importância, o status e o apelo mercadológico do comércio. Mas há quem consuma pelo simples prazer de comprar, de adquirir alguma coisa independente da sua utilidade ou significado. No entanto, quando o dinheiro é sinônimo de felicidade e a falta dele se traduz em desamparo e falta de amor, a vida fica realmente trágica.
A pessoa que tem o desejo descontrolado pelo consumo tem uma doença chamada de Oneomania, ou seja, Oneomania é o consumo compulsivo, o desejo incontrolável de gastar.
O ato de comprar indiscriminadamente é uma doença que atinge as pessoas caracterizadas como compradoras compulsivas. A Oneomania se manifesta para aliviar sentimentos de grande frustração, vazio e depressão. È um desejo de possuir que fica reprimido e ao não conseguir dar vazão ao seu desejo, a pessoa sofre uma enorme pressão interna que a leva à necessidade de possuir coisas novas como única forma de prazer.
No entanto, para não nos tornarmos compradores compulsivos tornam-se necessário que sejamos pessoas críticas e não nos deixemos influenciar por tudo aquilo que vemos. Reconhecendo a importância dos meios de comunicação como parte de nossa evolução pessoal, entretanto não podemos estar sempre predispostos a eles. Devemos possuir nossa própria autonomia, nossa própria identidade.

Teste:
Como saber se você é um comprador compulsivo.

Não resiste ao impulso de comprar?
Gasta mais que o planejado e se prejudica financeiramente?
Impede ou prejudica seus planos de vida e das pessoas à sua volta?
Precisa efetuar a compra de qualquer forma, independente do produto comprado?
Percebe que está comprando coisas que não usa ou usa pouco?
Assume dívidas acima de cinco vezes o valor de sua renda mensal?
Se a maioria de suas respostas foi SIM, você apresenta sintomas da doença. (Fonte: Teste desenvolvido por coordenadores do Ambulatório de Jogos Patológicos e Outros Tratamentos do Impulso (AMJO) do Instituto de Psiquiatria do Hospital de Clínicas de São Paulo.)

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário